Para 4 pessoas

2 peitos de pato
1 l de tucupi
1 maço de jambú
3 folhas de alfavaca
3 folhas de chicória
2 dentes de alho
1 pimenta de cheiro
250 g de farinha d'água de mandioca
50 g de manteiga
250 g de arroz
4 folhas de acelga
sal a gosto

Para o Vinha-D'alho:

1 limão
2 cabeças de alho
100 ml de vinho branco
1 pimenta de cheiro
sal à gosto 

 

Lave os peitos de pato em água corrente. Em um recipiente, prepare o "vinha-d'alho" com o suco do limão, as cabeças de alho socadas, o vinho branco, a pimenta de cheiro, sal e água à gosto.
Tempere os peitos no "vinha-d'alho" e deixe descansar de um dia para o outro na geladeira. Asse os peitos cobertos com papel laminado, em forno médio, por aproximamente 20 minutos. Em uma panela, coloque para ferver o tucupi com a pimenta do cheiro, os dentes de alho, alfavaca, chicória e sal à gosto. Em 2/3 do tucupi já temperado, ferva os peitos de pato já assados até ficar bem macio.
Desfie os peitos já macios e reserve. Cate o jambú, separando as folhas com os talos mais tenros e lave em água corrente. Em uma panela com água fervente e sal à gosto, escalde levemente o jambú. Escorra 3/4 do jambú e com a ponta da faca pique-o, conserve o restante em um pouco da água do cozimento. Faça o arroz puxado com a parte do tucupi em que foi fervido o pato. Com o arroz já pronto, misture o pato desfiado e o jambú picado.

Como Servir:

Em uma prato bem grande, coloque o folha de acelga e dentro dela o arroz já misturado com o pato e o jambú picado. Decore com as folhas de jambú que não foram picadas e regue com o tucupi que não foi usado para amaciar os patos. Use duas cuias pequeninas para servir, em uma coloque a farinha d'água de mandioca e na outra coloque um pouco de tucupi.

Notas:

Alfavaca – Tempero amazônico que lembra o manjericão.
Chicória – Tempero verde típico da Amazônia usado no preparo de pratos regionais. Não confundir com a verdura chicória existente no sul do Brasil.
Pimenta de Cheiro – Pimenta de cor amarela muito cheirosa sem entretanto queimar muito, é usada no Pará para fazer molho de pimenta ao tucupi. É planta regional da Amazônia e é autêntica marca registrada da cozinha paraense.
Farinha d'água de mandioca – Feita com a mandioca que fica de molho no rio. É mais hidratada que as farinhas secas feitas no resto do Brasil.
Jambú – Erva de largo uso no Pará, onde entra na composição de vários pratos típicos. Ao ser mastigada, provoca um leve tremor e amortecimento nos lábios e língua. Talvez por isso, muitos o apontem como afrodisíaco.